quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O básico do vinho!

Imagem: Reprodução Internet
Se você gosta de vinhos... 
Ou se você gostaria de saber mais sobre o assunto...
Ou aprender como escolher "aquele" vinho que harmoniza com aquele prato...
Acompanhe as dicas Sofist para você começar neste fascinante mundo dos sabores, dos aromas e das cores.

O Vinho é uma bebida de teor alcoólico médio, produzida a partir da fermentação das uvas. O sabor varia bastante de um para outro devido ao tipo de uva, terroir(conjunto de variantes solo, clima e topografia) e processo de fermentação.

As uvas: Uvas são elas que determinam o tipo e características do vinho e elas estão sempre nos rótulos. Podem ser tintas ou brancas. Temos um post falando sobre cada uma delas... 

Harmonização:
Para combinar vinhos com uma ocasião específica, vale o mesmo raciocínio que se faz com comida. Situações mais leves e informais pedem rótulos mais descontraídos, enquanto encontros formais ou sofisticados requerem vinhos complexos. 

O mesmo vale para o contrário: um jantar de pratos elaborados vai casar melhor com vinhos estruturados, brancos ou tintos, dependendo da receita a ser servida. A lógica também se aplica à estação do ano. 

No verão, sempre se buscam produtos refrescantes e mais leves, enquanto que no frio a pedida são os tintos mais encorpados ou brancos que funcionem bem com caldos, cremes ou tábuas de queijos.

Classificações: 
Os vinhos podem ser tintos, brancos, roses, espumantes. As classes são determinadas pelos tipos de uvas que compõem a bebida e a forma que é feito. Um vinho feito com a predominância (de 75% a 85%) de apenas um tipo de uva é chamado de "varietal". É comum a produção de vinhos com mais de um tipo de uva.

Temperatura: 
Gelado demais não!
Deve-se lembrar que, abaixo dos 5º C, as papilas gustativas podem ficar anestesiadas, danificando seu paladar. E, acima de 20ºC, o vinho pode perder equilíbrio, liberando um aroma desagradável de álcool. 

Para os vinhos tintos de uma a duas horas de geladeira (mais tempo para os mais leves e menos para os mais encorpados). E para os brancos ou rosés de duas a três horas.

Se a uva for branca, é indicado que se deva consumir o vinho entre 8 e 12º Celsius, sendo a temperatura mais baixa para os mais jovens, frescos e frutados; e a mais alta para os brancos mais densos, encorpados, complexos e/ou evoluídos.

Para os tintos, a escala pode variar entre 15 e 18ºC, sendo a temperatura mais baixa para os mais frutados e jovens, de taninos leves a médios; e a mais alta para os vinhos encorpados, estruturados, concentrados, complexos e/ou evoluídos.

Os rosados devem ser consumidos por volta de 12ºC.

Como escolher?
Pelo tipo da uva: Tinto, branco ou rosé. E espumantes e champanhes

Pela uva: Dentro da infinidade de uvas existentes, vá experimentando... Das opções mais leves para os mais encorpados. 

No supermercado: Escolha os que estejam na horizontal, não pegue as que estão em pé. E procure no rótulo a uva e a região... Olhe as condições do rótulo. Se tiver atendentes, peça o máximo de informação sobre o vinho.

Em lojas especializadas: Conte com o atendimento para perguntar características do vinho, seja específico para falar o que aprecia e quanto quer gastar em média.

Em restaurantes: Peça a carta de vinhos, normalmente está por região ou tipo (Tinto, branco, rosé, Espumantes e champanhes). Não tenha receio em perguntar sobre o vinho, características e harmonização com o prato. Deixe claro se você prefere maios leves ou encorpados.

Experimente!!! 

Tem muita informação ainda... Acompanhe! Mande sua dúvida!
Abraços,
Chris T. Millard


Fonte:
http://revistaadega.uol.com.br
Pequeno Livro do vinho, guia para toda Hora. Autora Suzamara Santos

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Pare com overposting!


Imagem: Reprodução Internet Stop Overposting
"(...) A sensação que seus "amigos" têm ao visualizarem a infinidade de fotos postadas nas suas redes sociais, pode ser comparada a que os mais antigos sentiam (pelo menos até a década de 1990) quando chegavam à casa de alguém, e tinham que assistir àqueles vídeos em VHS, com horas de duração, sobre um casamento, aniversário ou batizado, nos quais, na maioria das vezes, eles nem estavam presentes..."¹

Nesse mundo moderno em que dividir nossas paixões e os momentos é tão fácil, prático e rápido, exageramos!!! Acabamos sendo culpados de postar fotos a mais do que deveríamos. Esta prática conhecida como "overposting" acaba por entediar e afastar os seus seguidores...

No Instagram não faça um álbum de selfie ou um álbum de uma única situação com menos de cinco minutos... Tente revezar com outras fotos... A mesma dica vale para o Facebook, não poste 50 fotos de um dia legal e especial. Selecione as melhores fotos... 

Segundo os psicólogos ao exceder nas publicações, podemos passar uma imagem de egoísmo, egocentrismo, insistência, arrogância, ociosidade, carência e uma busca por aceitação social... A melhor maneira para minimizar esta situação é a mais óbvia: evite publicar fotos demais, simples assim!

"(...)A vontade de mostrar o que estamos fazendo é tão grande que acabamos perdendo muitos momentos da vida, produzindo fotos de determinada situação, ao invés de vivê-la plenamente. A experiência do aqui e agora, (mantendo a mente no momento presente e vivenciando cada instante de maneira inteira e consciente), está cada vez mais e mais escassa"². 

Os momentos da vida precisam ser vividos e não só fotografados... Como disse sabiamente Guimarães Rosa: "(...)O correr da vida embrulha tudo; a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem."

Pelo sim, pelo não, a máxima "menos é mais" também vale para o mundo virtual... Pense nisto!

Abraços,
Chris T. Millard

Fonte: http://www.personare.com.br
¹http://www.otempo.com.br Redação, publicado em 13/08/13
²Luisa Restelli, Psicóloga e Psicoterapeuta Corporal. Realiza atendimentos particulares no RJ e ministra grupos terapêuticos voltados ao autoconhecimento e empoderamento da mulher.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Onde comer em Salvador? CF Burger

Arquivo pessoal Chris outubro/2016
A Hamburgueria Cozinha dos Fundos começou com sonho, dedicação e claro, muito empreendedorismo de Marcio Patrício que atendia nos fundos da sua casa em Cuiabá, pouco mais de 20 clientes por noite... Hoje, além da primeira unidade, está presente em Rondonópolis, São Bernardo do Campo e recentemente chegou em Salvador.

A loja de salvador, tem uma decoração rústica e muito aconchegante, com um ar condicionado perfeito e projeto de iluminação bem legal. Dá para estacionar na porta, mas chegue cedo! Equipe de atendimento com camisas com frases divertidas e muito simpáticos e prestativos. Os sanduíches ficam prontos rapidamente. O proprietário vai até as mesas para ter um feedback...

O preço fica em média de $25,00 por hambúrguer, que tem ingredientes escolhidos e harmonizados delicamente. É possível escolher o ponto da carne (deliciosa por sinal) e acrescentar o acompanhamento batata chips caseiras... Você pode pedir talheres para cortar(ao meio) e facilitar a vida... E claro, tem cervejas especiais também... Catchup e mostarda da Heinz são levados para a mesa.

Ficou com vontade? Como dizem "Vale cada mordida". A Cozinha dos Fundos abre todos os dias a partir das 18h. Consulte!
Rua Almirante Carlos Paraguassú de Sá, 1156
Esquina com a Paulo VI, Bairro Pituba, Salvador
71 3359 6561
Insta: @cfburgersalvador

Testamos e aprovamos!
Sofist recomenda

Abraços,
Chris T. Millard

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Luto...


"(...) Mesmo sabendo que um dia a vida acaba, a gente nunca está preparado para perder alguém..."
Luto: substantivo masculino 1.sentimento de tristeza profunda pela morte de alguém. 2.luto originado por outras causas; amargura, desgosto. 3. perda de algo ou alguém com muita importância emocional.

O luto é uma angústia de perda. Um processo sentimental individual que ocorre quando o ser humano vivencia uma perda relativa e de importância emocional para ele. Cada pessoa tem o seu "luto", o seu tempo e os seus sentimentos. Quanto maior a vinculação (ou seja, o apego, a ligação) ao objeto perdido (alguém ou algo), maior será o sofrimento e a dor do luto. 

A forma de lidar com a perda varia de pessoa para pessoa e precisa ser respeitada e compreendida. É comum as pessoas se referirem ao luto como uma situação que precisa ser resolvida, deixada para trás e normalmente com tempo muito breve, não é tão simples e fácil assim. Cada qual tem sua forma e seu tempo... 

Apesar de ser um processo que varia consoante a pessoa e a idade, são comuns os sentimentos de tristeza, de raiva, de culpa, ansiedade, solidão, a apatia e o desinteresse, o estado de choque, a sensação de insegurança, desamparo e vazio. 

Em casos extremos pode desenvolver sintomas físicos causados pelo estresse, além de depressão, bipolaridade, sensação de perseguição, traços de psicopatia, atos de violência, fuga da realidade, desejo de autoextermínio e outros transtornos relacionados. Nestes casos, deve-se recorrer a ajuda profissional especializada o quanto antes.


Algumas ações podem ajudar a lidar com a perda:
Procurar ajuda e amparo de acordo com a religião. As palavras e gestos de carinho ajudam a lidar com a perda de um ente querido e muitas vezes nestas horas a fé fica muito abalada.

Escrever uma carta para a pessoa que morreu, dizendo tudo o que gostaria de ter dito e se despedindo. Além disso, é bom também procurar lembrar-se do sorriso ou de alguma característica positiva da pessoa e recorrer a essa imagem sempre que estiver mal. Agradecer pelo tempo que passaram juntos...


Buscar atividades que tragam um novo sentido para a vida, psicoterapia, grupos de apoio, esportes, religiões, filosofia de vida, cursos, mudança de casa, viagem. Como também transformar o sofrimento em boas ações é um dos caminhos de elaboração do luto, que pode ter impacto positivo na vida do enlutado como também para a sociedade. 

O tempo... Costuma-se dizer, popularmente, que o tempo cura tudo e, de fato, o tempo é um importante aliado na questão do luto. Mas esperar que o tempo passe não basta; é necessário realizar ações para minimizar esta dor e esta sensação de vazio. O tempo não traz a pessoa de volta, mas a tristeza e dor se transformam em saudade...

Como agir diante de um enlutado?
Vale um alerta para aquelas pessoas que costumam dizer: Não chore, não sofra... Não faça isto, pois viver o momento do luto não é algo ruim, na verdade ele é necessário... 
É uma etapa que precisa ser encarada, compreendida e vivenciada para viver de forma equilibrada e saudável. É importante não apressar o luto.

Assim nestas situações, o que podemos fazer é compreender a dor do outro, apoiar, ter paciência, fazer companhia, estar presente, amparar, dar um abraço e ajudar com questões burocráticas, se for necessário. Mostrar que a tristeza atinge a todos, mas que os amigos e a família sempre estarão juntos e unidos seja para chorar ou "se ajudarem" nesta difícil e dolorosa fase.

Tenhamos em mente que infelizmente as fatalidades e perdas acontecem a todo momento... Mas temos uma certeza: de que tudo passa...

É isto,
Chris T.Millard

Fonte:
http://www.espacopotencial.com

ENTREVISTA no site Personare  PSICÓLOGA FALA SOBRE MORTE E LUTO Clarissa De Franco explica como é possível superar a dor da perda
http://www.personare.com.br

http://www.minhavida.com.br ARTIGO DE ESPECIALISTA  28/03/2016 por Raquel Baldo PSICOLOGIA 

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Depressão

Imagem: Leandro Teles
http://www.leandroteles.com.br
"(...) Apertou em mim aquela tristeza, da pior de todas, que é a sem razão de motivo." Guimarães Rosa em Grande Sertão, Veredas.

"A depressão não é frescura! E está entre as mais comuns e avassaladoras doenças psiquiátricas. Acredita-se que cerca de 20% dos adultos brasileiros apresente depressão em algum momento da vida. Segundo a OMS, está entre as principais causas de perda de qualidade de vida."¹

É uma doença. Há uma série de evidências que mostram alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido, principalmente com relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e, em menor proporção, dopamina), substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células. 

Ao contrário do que normalmente se pensa, os fatores psicológicos e sociais, muitas vezes, são consequência e não causa da depressão. Vale ressaltar que o estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição, que provavelmente é genética.


São sintomas de depressão:
1.  Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia.
2.  Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas.
3.  Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis.
4.  Desinteresse, falta de motivação e apatia.
5.  Falta de vontade e indecisão.
6.  Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio.
7.  Pessimismo, ideias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte.
8.  A pessoa pode desejar morrer, em casos mais graves planejar uma forma de morrer ou tentar suicídio.
9.  Interpretação distorcida e negativa da realidade: tudo é visto sob a ótica depressiva, um tom "cinzento" para si, os outros e o seu mundo.
10. Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento
11. Diminuição do desempenho sexual (pode até manter atividade sexual, mas sem a conotação prazerosa habitual) e da libido.
12. Perda ou aumento do apetite e do peso.
13. Insônia (dificuldade de conciliar o sono, múltiplos despertares ou sensação de sono muito superficial), despertar matinal precoce (geralmente duas horas antes do horário habitual) ou, menos frequentemente, aumento do sono (dorme demais e mesmo assim fica com sono a maior parte do tempo).
14. Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos, como dores de barriga, má digestão, azia, diarreia, constipação, flatulência, tensão na nuca e nos ombros, dor de cabeça ou no corpo, sensação de corpo pesado ou de pressão no peito, entre outros.

Se você tem vários sintomas desta lista, hora de procurar ajuda especializada o quanto antes, depressão não é algo para ser resolvido sozinho e é imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado...

Abraços,
Chris T. Millard


Fonte: 
Imagem e frase¹Leandro Teles http://www.leandroteles.com.br
Neurologista graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com especialização no Hospital das Clínicas (HCFMUSP). É membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e também atua como consultor em programas de TV, rádio, revistas, jornais e portais na internet com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas através da disseminação do conhecimento médico.

http://www.minhavida.com.br/

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Festa sem estresse: Como calcular Bebidas?

Reprodução: Internet

Da série festa sem estresse: Como calcular quantidade de bebidas por pessoa?!

As seguintes variáveis devem ser analisadas: Tempo de duração do evento, faixa etária dos convidados, horário e época do ano, no verão o consumo de água, refrigerantes e cerveja aumenta, e no inverno o vinho é mais consumido. 


Também é preciso definir o formato do evento: café da manhã, coffeebreak, brunch, almoço, lanche, bolo e espumante, jantar ou coquetel. Cálculos para um evento com duração máxima de 4h, café da manhã e similares 2h


Bebidas:

Refrigerante: 400 ml por pessoa se servir outras bebidas e 600 ml por pessoa se servir apenas refrigerantes e água.

Suco: 250ml se tiver refrigerante, ou 400ml se for bebida única além da água.

Destilados: 3 doses por pessoa. A garrafa de 750 ml tem 24 doses, 1 garrafa para cada 8 pessoas em média.

Água Mineral: 250 ml por pessoa. Lembre-se: muitas pessoas não bebem refrigerantes ou apenas diet. Por isso é importante colocar à disposição dos convidados refrigerantes diet, suco e também água com gás.

Vinho: 1 garrafa de para cada 3 ou 4 pessoas durante um almoço ou jantar e 1 garrafa de vinho para cada 2 pessoas em um coquetel.

Espumante: 1 garrafa para cada 3 pessoas em uma festa "bolo com espumante", onde o "espumante" será servido do começo ao fim da festa e 1 garrafa para cada 8 pessoas na hora do brinde.

Uísque: 1 garrafa de 750 ml fornece 20 doses que serve 6 pessoas em média. 

Cerveja: 2 garrafas por pessoa (se não tiver outras bebidas) ou 1 garrafa de cerveja para cada 4 convidados se houver também uísque, vodka e vinhos.

Abraços,

Boas festas!
Chris T. Millard

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Como escolher o "melhor" candidato?

Reprodução: Internet
Sentimento de repulsa, aversão, indignação e vergonha ao falar da política brasileira... Nunca houve na história deste país tanto o uso da palavra "golpe", "inocente" e "bilhões desviados", tudo na mesma frase, diga-se de passagem. 

A cada dia na mídia e na imprensa assistimos estarrecidos, perplexos, as notícias sobre os níveis intoleráveis a que chegou a falta de ética e a corrupção, entre os nossos políticos. Este é o quadro: De um lado os defensores, do outro os acusadores e no meio, claro, os políticos juntamente com o seu voto e o seu dinheiro...

Eleições chegando? É possível escolher um bom candidato? Como mudar o quadro em que estamos? Como fazer seu voto valer? 
Procure os candidatos e partidos que melhor representem as suas idéias. O mais difícil é saber se, eles são honestos e realmente vão lutar pelo que defendem. Busque conhecer a carreira do candidato e veja se suas promessas são viáveis e compatíveis com o cargo que ele pretende ocupar. "

O erros mais comuns do eleitor: 
• Confundir a pessoa com o político. Muitos políticos ruins ou corruptos são carismáticos.
• Votar em quem está ganhando. Pelo menos no primeiro turno, o que vale é sua primeira escolha.
• Votar em esquisitões e pessoas que não fazem sentido ser um candidato, somente para protestar. Eles podem ser piores que os que motivam protestos. PROTESTE VOTANDO CERTO!
• Votar em alguém somente porque compartilha algo com ele (mesmo bairro ou religião).
• Trocar o voto por um presente ou um favor do candidato. A corrupção começa aí.

Onde se informar sobre seu candidato?
Tribunal Superior Eleitoral - www.tse.gov.br

Dados do patrimônio dos candidatos e do tamanho de sua campanha eleitoral.
ONGS Transparência Brasil - www.transparencia.org.br Oferece informações sobre os principais candidatos à Câmara dos Deputados, como funções públicas que já exerceram, número de faltas, declaração de bens, doadores de campanha, menções publicadas na imprensa sobre casos de corrupção e referência dos processos judiciais em que o candidato aparece.

Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) - www.diap.org.br
Ong que monitora a atuação de senadores e de deputados federais; disponibiliza listas com os parlamentares mais atuantes e mais influentes.

www.planalto.gov.br Notícias sobre os atos do presidente, espaço para enviar mensagens, íntegra de discursos e links para outros órgãos.

www.senado.gov.br Informações detalhadas sobre a atuação dos senadores, projetos e comissões.

www.camara.gov.br Dados sobre os deputados federais, projetos, discursos e dados para contato.

Ética, etiqueta e afins deveriam ser tendência... Queremos que pessoas honestas, com ética governem nosso país. Por onde anda a nossa ética de cada dia? Somos um povo muito contraditório... Onde sempre o espertalhão, o que passa o outro para trás, o que levou vantagem é o certo. É o tal jeitinho brasileiro... Votamos em quem nos ajudou ou pensando em algum benefício (particular!). Critica-se o governo, porém o povo reelege políticos corruptos. A nossa cultura, educação, desde sempre, é feita de forma errada... 

Até quando insistiremos nesta "cultura" de total inversão de valores?!
O Brasil só melhorará quando as crianças virem honestidade nas atitudes dos pais. O exemplo começa em casa. Faz todo sentido a frase: "Toute nation a le gouvernement qu'elle mérite" , traduzindo "Toda nação tem o governo que merece"¹... 

A solução está na mudança da cultura e educação no amplo sentido da palavra. Uma mudança de pensamentos e ações de todos nós. Uma verdadeira transformação de valores! Primeiro, tem de se mudar o homem, para depois mudar o mundo! Aproveite as próximas eleições e faça valer seu direito e dever de cidadão.


Abraços,
Chris T. Millard

¹Frase do Conde Joseph-Marie de Maistre filósofo francês (1753-1821), crítico da Revolução Francesa, inimigo das repúblicas e defensor das monarquias e do papa. foi escritor, filósofo, diplomata e advogado. Atribuia a responsabilidade ao eleitor, a crítica não era aos maus governantes, mas aos responsáveis por sua elevação aos cargos. 

Fonte:
http://www.culturamix.com
http://super.abril.com.br
http://www.coladaweb.com