quarta-feira, 17 de maio de 2017

Casamentos: O que é brega?

Imagem: Cena do Filme baseado no seriado Sex and the City, vivido por Chris Noth.
Briga e discussão em casamento não dá... Resolva os problemas antes... Vai ter que mudar a data depois de tudo arrumado por algum problema, ou não vai ter mais casamento. Cancele antes, se for o caso, os cerimoniais sabem lidar com isto com a discrição necessária. Não deixe o noivo ou noiva no altar.

Sobre o que é brega em casamento é importante lembrar que gosto cada um tem o seu, é algo individual e intransferível ... O que era tendência no casamento dos nossos pais já está "démodé", e é possível que em muito em breve volte a ser tendência... Acho muito legal quando o noivo também participa, afinal é uma festa para os dois. Certo?!

O que é brega para mim, pode ser o seu sonho desde adolescente... Então... Como costumo dizer: Cada noiva/noivo tem um sonho e uma expectativa de casamento lindo e maravilhoso. Para a concretização deste momento você tem direito a TUDO que você sonhou...

Que esta lista sirva apenas como uma reflexão... E não uma imposição ou regra a ser seguida fielmente.


Poucos lugares na cerimônia: É uma falta de delicadeza tamanha. Que tenha o número de cadeiras suficientes para seus convidados assistirem a cerimônia sentados.

Tapetes: Vermelhos, verdes ou brancos decorando a cerimônia já estão aposentados a muito tempo... Mas se você faz questão do vermelho, use-o! Eu não gosto desta tendência do tapete espelho... Acho horrível, mas é o queridinho do momento!

Flores artificiais: É uma questão polêmica... Já foi usada antigamente, caiu em desuso e agora, acreditem, alguns arranjos com flores artificiais de seda (não de plástico!)ficam lindos... Avalie com cautela.

Bolo: Não precisa ser gigante! Calcule para 70% dos convidados. Não é necessário ser branco neve como antigamente... Prefira um bolo pequeno e de verdade, do que um enorme e fake...

Topo: Noivinhos personalizados de biscuit (esclarecendo que eles não são cafonas, só estão perdendo espaço para topos de bolo de madeira, lata, porcelana, acrílico e outros formatos). No meu casamento optei por flores "artificiais" de cetim para o topo e na base do bolo. Agora aqueles topos de biscuit com a noiva fazendo maldades com o noivo: Evite a todo custo!

Valores: Durante a festa, evite conversar com qualquer convidado sobre o custo do casamento. Mantenha-se assim antes da cerimônia, durante o evento e após o evento. 

Brincadeiras: Não faça!!! 
Para quem não conhece a "brincadeira", o noivo vai "oferecendo" a gravata entre os amigos para que cortem se pagarem algo. A variável para a noiva é passar o sapato. Pior ainda é colar um adesivo no convidado "pão duro", "mão de vaca" e similares. É totalmente constrangedor, desconfortável para o convidado e extremamente deselegante para os anfitriões... 



Festa ou lua de mel? Não pode ter uma festa de casamento? Não tenha. Ninguém morre por causa disso. Ou faça algo mini, que possa pagar. Se só tem dinheiro ou para a lua de mel ou para a festa? Escolha qual irá se divertir mais, qual lhe trará melhores recordações e ponto final.Vocês noivos não são obrigados a nada...

Maquiagem: Noivas fujam de maquiagem carregada e unhas decoradas de forma exagerada... Não é legal.

Noivo: Para casamentos diurnos e ao ao livre a aposta são trajes mais casuais como calça + camisa + suspensórios e/ou gravata . Se o casamento for noturno e mais tradicional, o bom e velho terno preto ou escuro será sempre o clássico que nunca sai de moda. Já os fraques, ternos brilhantes e cartola podem se tornar piada no dia do casamento... Fica "bem aparecido".

Vestidos: Os bufantes, com babados, brilhos e recortes estão totalmente fora de moda. Luvas e cetim e aquelas garras com strass também já fazem parte do passado. Hoje a dica é apostar em vestidos leves, vaporosos, com manguinhas de renda e pedraria nos detalhes. É muito mais elegante... Vale a pena olhar também o que combina com o horário e época da cerimônia, seu estilo e tipo físico. É no religioso, noivas cuidado com as transparências, decotes e fendas no vestido. Mas aqui vale a dica: faça seu sonho!

Sapatos: Tire a etiqueta do preço! E sobre cores, eu acho estranho combinar com a cor do buquê ou com a gravata do noivo, prefiro combinando com o vestido! 

Noivas coloridas: Vermelha, roxa, preta... Evite! Mas se for muito o seu sonho converse com o noivos e os pais de ambos. Nada pior do que as fotos com cara de susto, decepcionadas ou emburradas.

Madrinhas: Ninguém deve ou pode usar qualquer roupa que deixe a barriga a mostra. Tenha também muito cuidado com espartilho nas costas. lembrando que no Brasil, branco só para as noivas e preto só para convidadas.(Vetado branco e preto para madrinhas)!

Cobrar bebida: Uma prática comum nos EUA, mas ainda pouco difundida por aqui. As pessoas que vão a seu casamento são seus convidados. Você não pode esperar que eles paguem pela sua festa! Imagine você, convidada para o casamento de uma amiga, ter de pensar em levar seu cartão de crédito? 

Padrinhos e Madrinhas: Quantos? O mínimo possível. Não é legal um grande número de padrinhos. Sobre cor de roupas, noivas converse com suas madrinhas e padrinhos sobre esta delicada questão. Falamos mais detalhadamente sobre isto!

Gravata da mesma cor para padrinhos? Pode! Desde que você noiva e noivo paguem por isso. Não se obriga alguém ter uma despesa extra.

Madrinhas com a mesma cor e modelo de vestido? Polêmico o assunto... Algumas pessoas amam outras odeiam. É um costume muito comum nos Estados Unidos e alguns países da Europa e tem sido muito usado nos casamentos por aqui. É importante que seja combinado com antecedência e que seja analisado delicadamente as diferenças de idade e tipo físico das suas madrinhas, da mesma forma que a condição financeira de cada uma para a confecção/aluguel de um vestido de festa especialmente para o seu casamento

Casamento temático? Não é problema...Se o casal gosta de determinado filme, de um local especial, ao invés de fazer todo o casamento neste tema, por que não inseri-lo em pequenos detalhes da festa. Fazer toda a festa temática pode parecer uma baile a fantasia. Pense nisto!

Convite apenas para cerimônia? Convidou para a cerimônia é obrigatório convidar se tiver festa. Ponto final!

Agora, se o seu casamento é muito íntimo e apenas os familiares bem próximos são convidados, aí você pode sair com os amigos e colegas de trabalho, ou convidá-los para o seu chá e não para o casamento. 

Lista de presentes: Coloque na lista presentes de todos os preços. Lembre-se sempre que presentear é um ato de gentileza e "pedir" presentes caros pode constranger os convidados.

Over chá: Noivas, decidam-se. Vão querer chá de panela, chá de lingerie, chá de banheiro, chá de relógio, chá de caldeirão ou chá hobby?  Veja como é cada um dos chás e escolha o que melhor se adapta a você e pronto!

Quantidade de convidados: Faça dentro do seu orçamento. É tendência mini casamentos, muito mais intimistas.

Convite de casamento: Negativo para convites com foto ou caricatura e totalmente deselegante colocar minicards com a lista de presente anexado.

Atrasos: Coloque no convite o horário correto, não seja deselegante de fazer os seus convidados pontuais esperarem 30 minutos. E noiva: É mais do que elegante chegar no horário marcado!

Entrada da noiva: A Marcha nupcial é sempre o clássico que nunca sairá de moda. Cuidado com bandas/ músicos ou cantores ao vivo. Antes uma gravação bem feita do que um músico bêbado!

Dança dos noivos: Está meio fora de moda aquela valsa tradicional. É mais legal você dançar a música do casal, ou qualquer música que signifique algo para vocês. Não exagere...

Ostentação: Casamentos exagerados do tipo clássico cheio de ostentação também estão super fora de moda. Hoje os casamentos no estilo "mini" são muito mais aproveitados pelos noivos e convidados. mas aqui também fica a seu critério!

Telão: Exibir fotos do casal ou um desenho em um telão durante a festa também é coisa do passado...



Esqueci de alguma coisa?! Conte para a gente... Nosso e-mail chris@sofistetiqueta.com.br



Abraços,
Boas escolhas...

Chris T. Millard

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Cadê nossa civilidade?

Imagem: Créditos para Kit da mulher moderna, no Blog De noiva a mãe 
 http://denoivaamae.com maio/2013

Civilidade, de acordo com o dicionário Aurélio, significa "conjunto de formalidades observadas pelos cidadãos entre si em sinal de respeito mútuo e consideração".  É o respeito aos hábitos e costumes adotados por uma sociedade, objetivando o convívio respeitoso, cortês  e solidário entre os seus membros.

"(...) Sofremos de um mal na atualidade: a incivilidade. A toda hora, somos obrigados a testemunhar cenas de grosseria entre as pessoas, de falta de respeito pelo espaço que usamos e de absoluta carência de cortesia nas relações interpessoais. Os adultos perderam a vergonha de ofender publicamente e em alto e bom som, de transgredir as normas da vida comum por quaisquer razões. Parece mesmo que nossa vida segue um lema: cada um por si e, ao mesmo tempo, contra todos. 

Por isso, perdemos totalmente a sensibilidade pelo direito do outro: cada um de nós procura, desesperadamente, seus direitos, sua felicidade, seu poder de consumo, seu prazer, sem reconhecer o outro. E, claro, isso gera intolerância, discriminação, ameaça,¹ preconceito de todo tipo e consequentemente violência e falta de educação, respeito, uma total falta de civilidade e princípios..."

Para refletir sobre sua civilidade:

Não jogar lixo no chão. Tão básico e tão difícil ver no dia a dia...

Não usar do "jeitinho brasileiro" para levar vantagens. É lamentável e vergonhoso este tal jeitinho, em que nossos representantes políticos são destaque e muitas pessoas insistem em seguir... 

Respeitar as leis, regras e regulamentos seja onde for.(No trabalho, no condomínio, escola, clubes, trânsito, no país...)

Ser honesto e  íntegro. (Isto não é vantagem, é o básico!). Devolver o troco errado é o mínimo que se espera de alguém com ética. E justificar o erro, porque outros erram, é triste de ouvir... 

Cumprir os compromissos e acordos assumidos.

Ser pontual. Respeitar horários é um indicador de civilidade e respeito pelo próximo.

Ter boas maneiras, ser educado e gentil no trato com as pessoas.

Saber pedir por favor e desculpas quando cometer algum engano.

Ter auto controle e calma diante de uma situação adversa. Saber reclamar com respeito. 
Ter noção de direitos e sobretudo deveres.

Ser tolerante e respeitar a opinião e escolha dos outros seja pessoalmente ou virtualmente.

Não estacionar em vaga de deficiente ou idoso ou fora da demarcação prejudicando outras vagas.

Dar preferência às mulheres grávidas, idosos e pessoas com necessidades especiais.

Não furar fila, aguardar a sua vez.

Obedecer as leias de trânsito, seja como motorista ou pedestre. Não colocando a vida de ninguém em risco.²

Se observarmos, falta muita civilidade no dia a dia e, sobretudo, carecemos de exemplo dos adultos. Estamos nos agredindo por aí naquilo que deveria ser um espetáculo de democracia.³ Mas o fato é que as crianças e os adolescentes praticam o conceito de cidadania e civilidade do qual se apropriaram pela observação do mundo adulto.¹

Pais estejam atentos, vocês são os exemplos para os filhos. Nós, os adultos, devemos emergencialmente adotar como meta a educação básica em casa, nas ruas, no trânsito, fazer valer a gentileza, boas maneiras na convivência social, o respeito pelo próximo, a cordialidade e civilidade. "(...) Disso depende a sobrevivência da vida social porque somos todos interdependentes.¹ Que cada um faça a sua parte... "Faça o bem, porque o mundo vai mal..."

Uma sociedade é o espelho dos seus cidadãos. Se eles não são civilizados, ela certamente será uma sociedade medíocre.²

Como disse sabiamente Mark Twain  "a gente não se liberta de um hábito, atirando-o pela janela. É preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau". Isto vale para o trânsito, para as escadas da prepotência, para a bisbilhotice da vida alheia e ao desrespeito pelos direitos dos outros, para o preconceito e a discriminação, para as intolerâncias do dia a dia, para a falta de educação. É básico. É civilidade. 

Abraços,
Chris T.Millard

¹ Texto adaptado. Texto Original divulgado no Jornal Folha de São Paulo por ROSELY SAYÃO, psicóloga e autora de "Como Educar Meu Filho?" (ed. Publifolha). Artigo "Falta de civilidade", editado no caderno Equilíbrio. São Paulo, quinta-feira, 09 de julho de 2009

²Baseado no texto do Blog http://cidadaoalerta.org.br

³Matéria veiculada no Bom dia Brasil por Alexandre Garcia Edição do dia 27/10/2010

Último parágrafo baseado no texto de João Soares Neto 20/05/2007
Blog http://www.cartamaior.com.br. Frase de Mark Twain pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens  (Florida, Missouri, 30 de novembro de 1835/ Connecticut, 21 de abril de 1910), foi um escritor e humorista norte-americano. É mais conhecido pelos romances The Adventures of Tom Sawyer (1876) e sua sequência Adventures of Huckleberry Finn (1885), este último frequentemente chamado de "O Maior Romance Americano".